Giródisco sem parar

noite de SLAM POETRY

4ª feira, 28/3 a partir das 22h

Vamos poder ouvir os textos e as vozes que marcaram o poetry slam lisboeta nos últimos tempos. Sem notas nem competição, “apenas miúdos” a partilhar palavras, só slammers convidados, com a única condição de não ultrapassarem os três minutos de antena. No fim haverá microfone aberto para quem quiser slamar.

O cartaz de Poetry Slam vai contar com Sir Scratch, Silva o Sentinela, Ana Reis, Viton Araujo, Vera Cruz, Raquel Lima, Nilson Muniz, Mick Mengucci, Leandro Morgado, Tiago Gomes, Paula Cortes, Ricardo Blayer, Sérgio Amaral etc. etc. etc. slam slam slam bom bom bom

organizada por Paola d’Agostini

concerto de LOS SANTEROS, a não perder!

1 domingo (in)continente com Patché di Rima

Patché di Rima despertou para o mundo da música em Bissau, no ano de 2000, incentivado pelo grupo Vatos Locos e Cicero Spencer Gomes. Com a sua boa música, empenho e dinamismo, tornou-se conhecido na sociedade guineense, já na banda musical Solo Crioulo, mais tarde como Mantambeza. Além de músico, animava campanhas de prevenção de doenças, defesa de mulheres e crianças, e conquistou um festival de música. Foi o mentor e o produtor da primeira coletânea de música moderna guineense “Guiné no Coração”. Depois de palcos internacionais e muitos prémios, criou o novo estilo musical, o sikó, que diz ser o renascimento da nova identidade africana. Rendez vous de Siko ultrapassa fronteiras e une gerações num forte apelo à reconciliação, formação de quadros e à verdadeira paz para o tão sofrido continente africano. Este será um concerto memorável com a sua garra que inebria multidões!

 

31 sábado GIRÓDISCO Swinging Sisters

A música pode mudar (e muda mesmo) do Soul para o Rock, e depois do Electro para o Ska, e ainda do Yé Yé para o Pós Punk, e voltar ao início, mas o que não muda é a boa disposição e performance informal das três DJ´s que dão pelo nome de Swinging Sisters. A Twiggy, a Lady Brighton e a Miss Parsley. Enquanto colocam as músicas dançam, saltam, fazem que cantam, enganam-se a carregar nos botões, tudo o que nós, humilde público, por vezes temos pudor de fazer. Mas com elas ao vivo o vírus pega-se e somos levados a swingar em uníssono.

Los Senteros

Conjunto mítico do underdesert Mexicano, formado em 1977, Los Santeros invadiram a Europa há 13 anos. Nickie Santero (Guitarra); Chicken “Birdie” Joey (Baixo e Voz) e Fast “Eddie” Nelson (Bateria e estupidez a rodos), juntaram-se em Chihuahua, México, com uma única ideia na cabeça: beber e tocar rock’n’roll – sempre por esta ordem. Depois da morte de Fast Eddie, da apropriação indevida de todos os bens da banda por parte de Nick, e da descida vertiginosa de Chicken ao sub-mundo do álcool, a banda reagrupou-se e decidiu permanecer em Portugal. Los Santeros são art-surf; novo-riquismo-mariachi; slow-punk; death’n’roll pontilhista e a melhor desculpa para apanhar uma bebedeira.

http://www.myspace.com/lossanteros”www.myspace.com/lossanteros

ENTRADA 3 EUROS

29 quintas dimensões Quinta Percussiva

Coletivo JAPI com Dj’s Fabricio e Max em um set especial de nova música brasileira para dançar, curtir, relaxar e de quebra uma canja do Bloco DuBairro com a percussão afro-brasileira de baque levado e impacto poderoso. Coco, ciranda e maracatu no Bartô. VAMO SACUDIR?

entrada livre